VASCO REIS, PORTUGUESE VETERINARIAN SPEAKS OUT

vasco-reis-veterinarian


Dear Abolitionists!

We believe that the abolitionist struggle can and should be varied, and will succeed when contributing to the information and the evolution of mentalities; When you contribute to the cohesion, reinforcement and support of activists; When contributing to the public demonstration of abolitionist.

Thus we can inform and enhance the knowledge of activists and of indifferent and even correct opinions of hobbyists, "hope springs eternal".

In addition, we can present arguments and demonstrate our strength abolitionist parliamentarians, rulers and authorities, to the public, to the media.

We think that we should be acting and not lose precious opportunities.

Right now we have an important opportunity to contribute to the demystification of the idea that being a singer, or like Fado, implies acceptance of bullfighting.

Fado is a form of art and a beautiful tradition, and can not be demeaned by being associated with the cruel bullfighting aberration.

We now have the extraordinary opportunity to undo this manipulation that was made, and to acknowledge a generous Fado singer, animalist and abolitionist, and his beautiful creation musical "DANCE of the WEAK", against the exploitation of bullfighting bulls and horses, integrated into its magnificent CD "ETERNO". ( note Fado singer Jose Manuel Ferreira)

Jose-manuel-ferreira-sings_GREEN_TIE111-1


We are deeply grateful to the artist José Manuel Ferreira and his set of eminent musicians from expressly in the Algarve, and we are very happy that we have with us these friends of people and animals.

Let's make history to undo any alleged complicity between Fado and bullfighting, and give encouragement to many and many to declare fadistas and strengthen their opposition to bullfighting.


A big hug, abolitionist


Vasco Reis

Veterinarian





* . * . * . *

Vivam Abolicionistas !


Pensamos que a luta abolicionista pode e deve ser variada, e terá êxito quando contribuir para a informação e a evolução das mentalidades; quando contribuir para o apoio, reforço e coesão dos activistas; quando contribuir para a demonstração pública da vontade abolicionista.

Assim, poderemos informar e reforçar o conhecimento de activistas e de indiferentes e até corrigir opiniões de aficcionados, pois “a esperança é a última a morrer”.

Além disso, poderemos apresentar argumentos e demonstrar a nossa força abolicionista a deputados, governantes e autoridades, à população, à comunicação social.

Pensamos que devemos ser actuantes e não perder oportunidades preciosas.

Neste momento temos uma importante oportunidade, para contribuir para a desmistificação da ideia de que ser fadista, ou gostar do fado, implica aceitação da tauromaquia.

O fado é uma forma de arte e uma bela tradição, e não pode ser aviltado ao ser associado à cruel aberração tauromáquica.

Temos agora a extraordinária oportunidade de desfazer essa manipulação que foi feita, e de reconhecer um generoso fadista, animalista e abolicionista, e a sua bela criação musical "DANÇA DOS FRACOS", contra a exploração tauromáquica de touros e cavalos, integrada no seu magnífico CD "ETERNO".

Estamos profundamente gratos ao artista José Manuel Ferreira e ao seu conjunto de eminentes músicos, vindos expressamente do Algarve, e estamos muito felizes por termos connosco estes amigos de pessoas e de animais.

Vamos fazer história ao desfazer alguma pretensa cumplicidade entre o fado e a tauromaquia, e dar alento a muitas e muitos fadistas para declararem e reforçarem a sua oposição à tauromaquia.

Um grande abraço abolicionista,

Vasco Reis

Médico Veterinário

unknown-3-3-2unknown-3-3-3unknown-3-3-4